DestaqueInternacional

Papa descarta permitir padres casados na Amazônia

Francisco não mencionou a proposta em documento oficial. Possibilidade havia sido aprovada em sínodo como resposta à escassez de sacerdotes na região

O papa Francisco descartou nesta quarta-feira, 12, a possibilidade de ordenar homens casados como padres na Amazônia. A proposta havia sido aprovada por 128 votos contra 41 no sínodo sobre a floresta, em outubro, como resposta à escassez de sacerdotes na região, mas precisava do aval do pontífice.

Francisco, porém, não mencionou a possibilidade no documento sobre o encontro publicado nesta quarta – indicando sua rejeição à proposta. Na chamada exortação apostólica pós-sinodal, intitulada “Querida Amazônia”, o papa trata do problema da falta de padres, mas não cita a ordenação de homens casados como a solução.

“Esta premente necessidade leva-me a exortar todos os bispos, especialmente os da América Latina, a promover a oração pelas vocações sacerdotais e também a ser mais generosos, levando aqueles que demonstram vocação missionária a optarem pela Amazônia”, diz o documento. “Ao mesmo tempo, é oportuno rever a fundo a estrutura e o conteúdo tanto da formação inicial como da formação permanente dos presbíteros, de modo que adquiram as atitudes e capacidades necessárias para dialogar com as culturas amazônicas.”

A possibilidade de ordenação de homens casados na Amazônia era criticada pela ala conservadora do Vaticano, que via na proposta um primeiro passo para a extinção do celibato na Igreja Católica.

Fonte
VEJA
Tags
Publicidade

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios